Espadas_de_S%C3%83%C2%A3o_Jorge_Azul_edi

            LEO FONTEVIVA

     "Com uma linguagem artística própria, busco em minhas composições harmonia entre cores, traços e volumes, cultivando a beleza e a simplicidade, proporcionando bem estar".

Eu_edited.jpg

     Nascido em Salvador, na Bahia, sou autodidata em design gráfico, web design, marketing cultural e artes plásticas. Convirjo minhas pesquisas para as artes visuais e empreendedorismo cultural. Em toda a minha trajetória como empreendedor comercial ou cultural, o design gráfico esteve presente: criei marcas, identidades visuais e projetos gráficos diversos.

     O meu desenvolvimento artístico se deu com maior intensidade em 2009, quando transpus para telas, telhas de cerâmica e lajotas de barro, uma síntese da minha observação e da minha convivência com Babalu - meu mestre da vida e das artes e principal referência artística. Em minhas composições, busco expressar a genuína brasilidade, inspirado na estética e padrões gráficos dos índios brasileiros, no Movimento Armorial (Idealizado pelo escritor paraibano Ariano Suassuna) e pela técnica de pintura de Babalu e seus elementos pictóricos.

     Em 2013, fui selecionado para o Salão de Artes Visuais da Bahia (Regional Chapada Diamantina), promovido pela Fundação Cultural do Estado da Bahia (FUNCEB)/ Secretaria de Cultura do Estado (SECULT-BA), realizado na Casa de Cultura Afrânio Peixoto, na cidade de Lençóis (BA), o que me serviu de confirmação de um novo caminho a seguir nas Artes Visuais, saindo dos bastidores e assumindo a "ribalta".

     Ainda em 2013, transferi a minha expressão pictórica para o meio digital, dando um salto qualitativo em meu trabalho, pois os programas gráficos de computador permitem experimentar amiúde até chegar ao "MDC" da obra. Foi também nesse ano que fiz a minha primeira exposição virtual de arte digital, tendo como título "Alegria!".  No entanto, para concluir o ano de 2013,  tive que colocar os meus projetos artísticos na “geladeira”, para me dedicar integralmente ao empreendedorismo comercial.

     Finalmente, em outubro de 2019, reassumi o meu propósito pessoal, o meu “dharma”, e decidi me dedicar integralmente às artes visuais (fiz um artigo no Linkedin, que fala melhor sobre esse assunto). Em menos de dois meses, após o compromisso que assumi comigo mesmo, preparei a exposição virtual, de arte geométrica digital inspirada na pintura corporal dos índios brasileiros, intitulada "Pindoramalidades" - um importante marco para essa nova fase da minha vida.

     Em abril de 2020, participei do projeto artístico social Máscaras pela Vida, no qual mais de 40 artistas plásticos baianos aplicaram suas artes em máscaras de proteção (símbolo maior de proteção e prevenção contra o COVID-19), tendo as peças rifadas e a renda convertida em cestas básicas, que foram direcionadas para entidades do Subúrbio Rodoviário de Salvador.
    Em julho de 2020, fui convidado para participar do livro ArteGente, da SobreGentes Editora, que foi lançado no primeiro dia de dezembro do mesmo ano. Uma publicação de primorosa editoração gráfica, que teve a participação de 60 artistas de todo o Brasil, contemplando diversas manifestações artísticas, como artes plásticas, música, poesia, dança, tatuagem e cinema.

     Gosto de brincar com as cores e seus diversos tons, de promover volumes e experimentar contrastes. Nas séries onde utilizo a arte geométrica é mais evidente - gosto das múltiplas possibilidades de formas e volumes que os olhos enxergam em uma única obra.

       Penso que o papel das artes seja alimentar a nossa essência. Que o meu trabalho possa ser um suplemento que nutre afetivamente a alma de quem a contempla.